Ronda Policial Rio Grande do Sul - 03 de maio de 2016


Um tiroteio no bairro Mario Quintana resultou em homicídio, na tarde desta segunda-feira, na zona Norte de Porto Alegre. A vítima, identificada como Carlos Alberto Spindola da Silva, de idade não divulgada, morreu no local. Os disparos ocorreram na rua Seis de Novembro, às 14h40min. A Brigada Militar não conseguiu apurar a autoria, nem o que motivou o tiroteio.

Um duplo homicídio foi registrado na madrugada desta segunda-feira em Sapucaia do Sul, na região Metropolitana. Dois homens foram encontrados caídos na rua Alfredinho, no bairro Jardim América.

Os corpos apresentavam marcas de disparo na cabeça. A suspeita é de que a dupla tenha sido executada. Não há informações sobre o autor dos disparos e as vítimas ainda não foram identificadas.

O vereador Rodrigo Maroni (PR) registrou ocorrência policial, nesta segunda-feira, após, segundo ele, ter sido agredido por um comerciante supostamente responsável pela morte de um cão yorkshire, no sábado passado, em Porto Alegre. Conforme o político, ele foi agredido, na manhã desta segunda-feira, ao conversar com moradores da rua São Luís, no bairro Santana, onde o caso foi registrado, no fim de semana.

O comerciante teria se exaltado ao enxergar Maroni nas proximidades do estabelecimento dele e teria chamado outros homens. O vereador, que é defensor da causa animal, relata que recebeu socos, chutes e ameaças de morte por parte do grupo. “Eram 16 caras, incluindo o filho dele muito exaltado, me bateram na cabeça com o capacete, me chutaram. Além disso, me ameaçaram de morte”, sustenta.

O parlamentar foi ao local para obter provas de que o acusado de matar o cão desferiu chutes que levaram o animal a óbito. Maroni pretendia gravar vídeos e apresentar o material ao delegado que assumiu o caso.

Moradores do bairro realizaram um protesto, na tarde desse domingo, após a morte do cão, que atendia pelo nome de Théo. Segundo a dona dele, Isabel Maciel, o animal foi chutado após ter feito xixi em frente ao estabelecimento. O delegado Adilson Carrazzoni entende que a agressão contra o animal foi desproporcional. Ele segue ouvindo testemunhas para finalizar o inquérito. Uma nova manifestação está prevista para o próximo fim de semana. 

Uma quadrilha fortemente armada assaltou a agência do Banco do Brasil em Praia Grande, Santa Catarina, na divisa com o Rio Grande do Sul. Os criminosos estavam com toucas ninjas, coletes balísticos e roupas pretas, além de portarem armamento pesado. Eles renderam os vigilantes, funcionários e clientes, sendo as vítimas mantidas como “escudo humano” para impedir uma eventual aproximação policial.

Após se apossarem de uma quantia em dinheiro, os bandidos levaram o gerente junto em um Fiat Dobló, de cor verde, com placas de Caxias do Sul. O veículo apareceu abandonado na localidade de Rio do Boi, em Praia Grande. A vítima foi libertada. A Polícia Militar e Polícia Civil de SC foram mobilizadas e montaram um cerco na região, sendo alertada a Brigada Militar para tentar bloquear uma eventual fuga ao RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário