Exposição sobre cineasta Alberto Ruschel já pode ser visitada






 


































Exposição sobre cineasta Alberto Ruschel já pode ser visitada

Trabalho que marca o centenário do estrelense foi aberta esta semana e poderá ser visitada até o próximo dia 1º de março

Foi aberta na última terça-feira (20) e segue até o próximo dia 1º de março a exposição que marca o centenário de nascimento do cineasta estrelense Alberto Ruschel. O trabalho, promovido pelo Memorial da Aepan-ONG e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secultur), está exposto no Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann, em Estrela, e pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 16h. De 5 a 16 de março estará na Câmara de Vereadores.

A mostra conta com fotos, projeção de filmes (O Cangaceiro; Paixão de Gaúcho; Ângela e Pontal da Solidão) e apresentação de músicas gravadas pelo conjunto Quitandinha Serenades (Felicidade; Sabiá; entre outras), além das trilhas de seus filmes. Dezenas de pessoas foram conferir o material já na noite de terça-feira, data da abertura. Alguns familiares, entre eles os sobrinhos do artista, Ernani e Anabel Ruschel, prestigiaram o evento e diversas autoridades marcaram presença no ato, que contou com apresentações artísticas e coquetel. O organizador da exposição, Airton Engster dos Santos, da Aepan, destacou a felicidade por ver o trabalho consumado, agradeceu a colaboração que contou de pessoas como Roque Schwertner e o casal Werner e Gisela Schinke. “Acima de tudo agradeço a acolhida da família Ruschel que concedeu total apoio para realização da mostra, ao prefeito Rafael Mallmann e secretário da Secultur Marcelo Braun que acreditaram muito no projeto.” 

Legado

Nascido em 21 de fevereiro de 1918, Alberto Ruschel cresceu numa chácara em Arroio do Ouro. Depois de completar os primeiros anos na escola, o cineasta migrou para Porto Alegre. Em 1940, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde iniciou a carreira artística. Primeiramente, foi cantor no conjunto Quitandinha Serenades. Após, conheceu Grande Otelo e, através dele, chegou ao cinema pela companhia Atlântida, atuando em comédias carnavalescas.

Na sequência, ingressou na Vera Cruz, de São Paulo, onde tornou-se famoso, inclusive internacionalmente, ao protagonizar o filme O Cangaceiro (1953), de Lima Barreto. A obra foi selecionada para o Festival de Cannes de 1953, onde ganhou dois prêmios: Melhor Filme de Aventura e Menção Especial para Música. Atuando em vários filmes durante a década de 1950, seu sucesso o levou ao exterior, sendo ator principal em produções na Espanha e na Argentina.

Em 1973, realizou a primeira experiência como diretor-roteirista, em Pontal da Solidão, filmado em Torres (RS). Ao longo da carreira, recebeu diversas homenagens e recompensas, como a Medalha dos Andradas, do Instituto Histórico e Geográfico de Santos (1990), pelos serviços prestados à arte e à cultura do país e o Troféu Saci, do jornal O Estado de São Paulo, como melhor ator nos filmes Angela (1951), Apassionata (1952) e Cara de Fogo (1958).

Por toda dedicação ao cinema nacional, Alberto Ruschel foi homenageado no 21º Festival de Cinema de Gramado, em 1993, com o troféu Oscarito.

Em 18 de janeiro de 1996, aos 77 anos, faleceu devido a uma hemorragia no duodeno quando se recuperava de uma cirurgia cardíaca. Ele vivia no Retiro dos Artistas, no Rio de Janeiro.

Serviço

Exposição 100 Anos Cineasta Alberto Ruschel

Promoção: Secultur e Memorial da Aepan-ONG
Abertura: 20 de fevereiro de 2018, 19h30min

Período: 20 de fevereiro a 1º de março no Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann, e de 5 a 16 de março na Câmara de Vereadores

Local: Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann - Estrela-RS

Conteúdo: Exposição de fotos; Projeção de filmes (O Cangaceiro; Paixão de Gaúcho; Angela; Pontal da Solidão) e apresentação de músicas gravadas pelo conjunto Quitandinha Serenades (Felicidade; Sabiá entre outras); trilhas dos filmes de Alberto Ruschel.

Participação Especial: Musicistas de Estrela.
Texto: Rodrigo Angeli e Memorial da Aepan-ONG
Fotos: Ketlin Wahlbrinck/divulgação