Economia - 29 de janeiro de 2016



Potência mundial
Os Estados Unidos divulgam hoje o resultado do PIB de 2015. A maior economia mundial tem crescido em ritmo saúdavel, impulsionada pelos gastos das empresas e dos consumidores. No 3º trimestre, a alta foi de 2%. No 2º, de 3,9%.

Durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) em Brasília, nesta quinta-feira (28), o governo anunciou a abertura de linhas de crédito no valor de R$ 83 bilhões. Os bancos públicos e o FGTS têm mais recursos em caixa com o pagamento das chamadas "pedaladas fiscais" no fim do ano passado.

O objetivo das linhas de crédito, é estimular o nível de atividade econômica e tentar evitar um impacto maior da recessão na taxa de desemprego – que vem crescendo nos últimos meses. "São R$ 83 bilhões que se podem abrir de novas operações de crédito utilizando melhor os recursos que já existem", disse o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa.

Veja as linhas de crédito anunciadas e seus valores:
- R$ 10 bilhões para pré-custeio da safra agrícola 2016/2017 via Banco do Brasil
- R$ 10 bilhões em recursos do FGTS para instituições financeiras contratarem novas operações de crédito imobiliário
- R$ 22 bilhões em recursos do FI-FGTS (fundo de investimento do FGTS) em crédito para operações de infraestrutura
- R$ 5 bilhões do BNDES para capital de giro de micro e pequenas empresas
- R$ 4 bilhões em linhas de pré-embarque para exportações via BNDES
- R$ 15 bilhões do BNDES para refinanciamento das operações que estão vencendo do PSI e do Finame com taxas de mercado, sem subsídio
- R$ 17 bilhões (estimativa do governo) em recursos do FGTS para consignado ao setor privado com garantia da multa por demissão e 10% do saldo dos depósitos existentes

O ministro afirmou não acreditar que essas linhas de crédito coloquem em risco o combate à inflação. "São recursos que já estão no mercado financeiro. Não é uma injeção de recursos no mercado. Já estão no FGTS e nos bancos públicos e podem ser melhor utilizados", declarou ele. No ano passado, a inflação somou 10,67%, o maior patamar em 13 anos.

Uso de recursos do FGTS como garantia
A presidente Dilma Rousseff anunciou que encaminhará ao Congresso Nacional proposta para uso de verba do FGTS como garantia para operação de crédito consignado.

Nelson Barbosa, por sua vez, explicou que a ideia é que o trabalhador possa ofercer como garantia para operações de crédito sua multa rescisória (de 40% no caso de demissão), além de 10% do saldo de seu depósito, para reduzir as taxas de juros bancárias – que dispararam em 2015. Segundo ele, serão tomadas precauções para que isso não gere sobreendividamento das famílias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário