Economia - - 20 de janeiro de 2016



Juros
A 1ª reunião do ano que define a taxa de juros básica da economia brasileira acontece em meio a uma declaração polêmica do presidente do Banco Central. Os integrantes do Copom não costumam falar em público durante os 2 dias de reunião. Alexandre Tombini emitiu nota dizendo que as projeções pessimistas do FMI foram significativas.

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, considera significativas as revisões das projeções para a economia brasileira em 2016 e 2017, feitas pelo Fundo Monetário Internacional, e divulgadas nesta terça na atualização do relatório World Economic Outlook (Perspectiva Econômica Global).

O FMI aumentou a projeção de queda da economia brasileira, este ano, de 1% para 3,5%. Para o FMI será o segundo ano consecutivo de queda da economia. Para 2015, o Fundo projeta uma retração de 3,8%. Em 2017, a expectativa é de estabilidade, com a estimativa de crescimento zero para o Produto Interno Bruto (PIB). Em outubro do ano passado, o FMI projetava crescimento de 2,3%, em 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário