Economia - 09 de dezembro de 2015



Os gerentes foram os profissionais mais afetados pela crise econômica no país e tiveram uma retração salarial de 23% este ano, aponta pesquisa da Love Mondays, comunidade de carreiras do país onde funcionários declaram seus salários e satisfação com o seu local de trabalho.

Segundo o levantamento, 21 de 25 cargos, ou 84% do total, analisados tiveram aumento de remuneração inferior à inflação média do país, que ficou em 9,57% no acumulado do ano, até 2 de dezembro, segundo o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) calculado pela FGV.

Os salários de supervisores (-11%), professores (-9%), operador de caixa (-9%) e consultores (-6%) também registraram quedas acentuadas. Na média geral, os salários registram elevação de 0,57% no ano.

"O caso dos gerentes é o mais emblemático para exemplificação de como a crise tem afetado o mercado de trabalho. É possível que a posição venha sendo afetada pela substituição, ou seja, os profissionais atuais são substituídos por outros que estão disponíveis no mercado e aceitam uma remuneração menos competitiva", explica a CEO da Love Mondays, Luciana Caletti.

Dos quatro cargos que registraram alta superior ao índice de inflação, nenhum exige formação universitária completas: atendente (11%); assistente (12%); técnico (13%) e motorista (15%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário