Airton Engster dos Santos

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Economia - 25 de agosto de 2016


A prévia da inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15) desacelerou de julho para agosto, fechando a taxa do mês com variação de 0,45%, resultado 0,9 ponto percentual inferior aos 0,54% da prévia do mês de junho. Os dados foram divulgados nesta quata-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os números indicam que, com o resultado de agosto, o IPCA-15 fechou o acumulado do ano (janeiro-agosto) com elevação de 5,66%, bem abaixo dos 7,36% registrados em igual período do ano anterior. Já o acumulado dos últimos 12 meses (a taxa anualizada) ficou em 8,95%, resultado próximo dos 8,93% verificados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2015 a taxa havia sido 0,43%.

Mesmo registrando desaceleração em relação à prévia de julho, os preços dos alimentos continuaram sendo o principal responsável pela alta, com o grupo Alimentação e Bebida respondendo por 0,2 ponto percentual da taxa do mês, o equivalente a 0,44% do IPCA-15 do mês.

Números da pesquisa

Isoladamente, o grupo dos alimentos registrou alta de 0,78%, resultado mais baixo do que o do mês passado quando a variação foi de 1,45%: menos 0,67 ponto percentual. Segundo o IBGE, os maiores resultados do grupo foram verificados nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte (1,31%), Rio de Janeiro (1,15%) e Fortaleza (1,10%), enquanto o mais baixo ficou com a região metropolitana do Recife (0,32%).

Feijão

Parte da retração dos preços dos alimentos pode ser atribuída à queda dos preços do feijão. Principal vilão da inflação nos últimos meses, o feijão-carioca, tipo mais consumido no país e que chegou a aumentar no mês anterior 58,06%, desacelerou de forma acentuada, passando para 4,74% no resultado de agosto, embora os preços tenham continuado a subir.

No grupo, no entanto, alguns produtos chegaram a ficar bem mais baratos de julho para agosto. Este é o caso, por exemplo, da cebola, que fechou a prévia de agosto com forte desaceleração: de -22,81%; da batata-inglesa (-18%); e de hortaliças (-9,01%), todos com deflação entre um período e outro.

Grupos

Além dos alimentos, outros três grupos de produtos e serviços apresentaram desaceleração na taxa de crescimento em relação a: Vestuário (-0,13%), Habitação (-0,02%) e Transportes (0,10%).

Nos demais grupos pesquisados, o IBGE destacou a alta de 0,9% no grupo Educação, a maior variação entre um período e outro, refletindo o resultado apurado na coleta de agosto, que captou a realidade do segundo semestre do ano letivo. Os cursos regulares tiveram variação de 0,97%, enquanto os cursos diversos (informática, idioma, etc.) subiram 1,13%.

Regiões

Entre as 11 regiões pesquisadas pelo IBGE, cinco apresentaram índices superiores à média nacional de 0,45% e outras cinco fecharam com resultados menores. Já a região metropolitana de Porto Alegre fechou com mesmo 0,45% da média nacional.

A maior variação ocorreu na na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde a alta chegou a 0,88%, pressionada pela elevação de 69,97% nas diárias dos hotéis, em decorrência do maior fluxo turístico causado pela Olimpíada; mas também pela alta de 1,15 % nos preços dos alimentos, que ficaram bem acima da média nacional de 0,78%.

Com resultados acima da média nacional aparecem, ainda, Salvador (0,75%), Belo Horizonte (0,6%), Fortaleza (0,52%) e Goiânia (0,47%).

Já a menor alta foi verificada na região metropolitana de Curitiba, onde o índice ficou praticamente estável em 0,01%. Neste caso influenciado pela queda de 4,76% no item energia elétrica, que refletiu a redução de 13,83% nas tarifas em vigor a partir de 24 de junho. Abaixo da média de 0,45% aparecem ainda Belém (0,39%), São Paulo e Brasília com 0,34% e Recife (0,15%).

Com a mesma metodologia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA), que reflete a inflação oficial do país, o IPCA-15 tem a mesma metodologia de coleta, abrangendo o mesmo universo da famílias (com renda de 1 a 40 salários), mas envolve menos regiões e tem período de coleta compreendido entre a segunda metade do mês anterior e a primeira do mês de referência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lançamento do Livro do Escritor Ricardo Wagner em Estrela..."Um Novo Projeto de Vida"...Veja compacto em vídeo...

Lançamento do Livro do Escritor Ricardo Wagner em Estrela..."Um Novo Projeto de Vida"...Veja compacto em vídeo...