Economia - 19 de agosto de 2016


A sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Rio Grande do Sul já chegou a R$ 4,5 bilhões em 2016. O alerta é do Sindicato dos Técnicos Tributários da Receita Estadual do RS (Afocefe) e do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda (Sinprofaz), que instalaram nesta quinta-feira um sonegômetro no Largo Glênio Peres, no Centro de Porto Alegre.

Junto ao Mercado Público, o painel eletrônico revela os números do déficit tributário que empresas de grande porte sonegam no País. De acordo com o presidente do Sinprofaz, Achilles Frias, a sonegação no Brasil já é estimada em R$ 340 bilhões em 2016.

"A sonegação fiscal tem atingido cifras superiores a R$ 500 bilhões anualmente. Este ano o número já chegou a R$ 340 bilhões até o dia de hoje. Esses números representam os recursos que deixam de chegar aos cofres públicos e que poderiam ser revertidos para educação, saúde e segurança pública. O nosso foco é mostrar ao cidadão que é necessário combater o grande sonegador, o grande devedor", disse em entrevista à Rádio Guaíba. 

Frias destacou que a sonegação de impostos está diretamente ligada à corrupção. "É com base no dinheiro que deixa de ingressar nos cofres públicos é que se faz o caixa 2, financiamento ilegal de campanha e corrupção ativa", acrescentou. Ele ainda comentou que a estrutura da Procuradoria da Fazenda Nacional está precária e que não há interesse político em reorganizar o órgão. 

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário